Paraná gasta R$ 143 milhões com remédios fornecidos a partir de decisões judiciais


 O Estado do Paraná gastou R$ 143 milhões com remédios fornecidos a partir de ordens judiciais de janeiro a agosto de 2019, segundo dados da Secretaria de Saúde (Sesa). O valor, segundo o governo, representa praticamente um terço do que o estado gastou com remédios no período.

Em 2018, segundo a Secretaria de Saúde, foram gastos R$ 207 milhões.

Ao mesmo tempo que o montante engessa o orçamento da saúde, pacientes e familiares afirmam que, em alguns casos, as determinações judiciais são o único caminho para obter medicamentos de alto custo.

Ao todo, são mais de 17 mil pacientes que recebem remédios a partir de determinações judiciais no Paraná para tratamentos de saúde.

Os casos acontecem quando os medicamentos não estão na lista de remédios distribuídos pelo Sistema Único de Saúde (SUS) ou quando os pacientes não se enquadram nos parâmetros pré-estabelecidos para recebimento das substâncias.

Segundo a coordenadora de Assistência Farmacêutica da Sesa, Deise Pontarolli, o nível de judicialização é preocupante.

"Estamos quase em um ponto em que há risco de insustentabilidade, em que ou nós damos sustentação à política orçamentária ou atendemos às determinações", afirmou.

A inclusão de remédios na Relação Nacional de Medicamentos Essenciais (Rename) é de responsabilidade do Governo Federal.

 

Informações: G1 Paraná

Foto: Reprodução/RPC